3 cuidados para evitar alergia em cachorros – em HIGIENE E CUIDADOS

Alergias em cães

Controle de parasitas

A principal dica é que o controle seja feito não só no cãozinho que é alérgico, mas também nos outros animais com que ele tenha convívio – independentemente de esses pets serem ou não alérgicos – e no ambiente que ele frequenta. Segundo Isabela Canavari, 95% das pulgas e carrapatos vivem no ambiente onde os bichinhos estão, e não no próprio corpo deles.

Ela destaca que há produtos específicos para serem usados nos animais e outros voltados exclusivamente ao ambiente. Estes últimos, normalmente, são venenos, por isso é fundamental diferenciá-los, manuseá-los corretamente e utilizá-los somente nos espaços, para evitar intoxicações dos humanos e dos animais. “Há pessoas que fazem a diluição dos produtos ambientais e aplicam no animal. Isso é um grande risco”, adverte. A veterinária explica que há medicamentos de uso tópico e oral, mas ambos têm grande eficácia. O ideal é escolher aquele a que o cão se adapte melhor.

Plantas e grama causam alergias diferentes

Há cães que, ao deitar na grama, desencadeiam certa reação alérgica. Esse tipo de alergia é classificada como uma “dermatite por contato”, em que a vermelhidão e a coceira ficam restritas ao local do corpo que encostou na superfície, como o peito ou a barriga. Já o pólen da maior parte das plantas pode provocar outro tipo de alergia, chamada de atopia. Nesses casos, ele entra em contato com a pele do animal e a coceira se alastra para diversas regiões do corpo.

Em ambos os casos, é complicado evitar que um cão alérgico se proteja desses elementos causadores. “Não temos como colocar os cães numa bolha e não deixar que saiam de lá”, analisa Isabela. Segundo ela, é muito difícil descobrir que planta pode estar causando alergia ao cachorro. Mesmo que o tutor vá retirando uma por uma do ambiente onde o pet fica para fazer o teste, às vezes a planta está no vizinho e ninguém jamais descobrirá. “O importante é controlar essas reações alérgicas”, informa a veterinária.

O uso de xampus adequados, hidratantes, banhos e tratamentos tópicos ajudam bastante a impedir respostas alérgicas, mesmo com os pets tendo contato com o fator que normalmente lhe causaria a alergia. Já quando a crise é desencadeada, Isabela afirma que há medicações orais que garantem resultados eficazes, como corticoides, ciclosporina e apoquel. 

Casa limpa

A poeira é outra grande inimiga quando o assunto é alergia. Alguns cães têm hipersensibilidade, outros não. Para pets alérgicos, a grande saída é manter o ambiente em que vivem sempre arejado e rigorosamente limpo, esfregando o chão e os objetos com pano úmido para a poeira não levantar. “Os tutores desses animais precisam ter um cuidado extremo, pois é muito difícil não deixar acumular poeira”, observa Isabela, lembrando que alguns cuidadores chegam a retirar definitivamente as cortinas e os tapetes da casa.

*Por Rogério Vaquero | Foto Shutterstock | Adaptação Isis Fonseca.

Garanta o seu livro Enciclopédia Ilustrada Cães!

Fonte: Meu Pet

email
Deixe seu comentário: