As vacinas para cachorros podem apresentar efeitos colaterais?

Todo animal deve ser vacinado dentro da faixa de tempo recomendada e isso deve ser feito, apenas, por um médico veterinário. Vacinar o seu cachorro é um sinal de amor e carinho, pois ele viverá por mais tempo e livre de diversas doenças, inclusive zoonoses (doenças que podem ser transmitidas para os homens pelos animais). Porém, alguns cães podem apresentar uma certa sensibilidade às substâncias contidas na vacina.

Vacinas
Elas são fundamentais na hora de criar um forte exército no sistema imunológico. Dentro das vacinas existe uma cópia do agente agressor em uma quantidade tão pequena que é impossível que provoque a doença. Esse mecanismo é utilizado para que o corpo possa produzir uma quantidade considerável de agentes capazes de eliminar o invasor quando ele aparecer na sua forma ativa. Com a vacina, o exército de anticorpos já fica pronto para atacar a qualquer momento.




Efeitos colaterais das vacinas para cães
Sim, as vacinas podem provocar efeitos colaterais nos animais. Mas, não é por isso que você vai deixar de proteger o seu amigo não é mesmo? As principais reações causadas pelas vacinas são febre alta, falta de apetite, o animal fica muito quieto e aparenta tristeza e pode haver também queda de pelos no local onde a substância foi aplicada.

Em casos muito raros podem ocorrer reações alérgicas violentas causando o choque anafilático. É uma espécie de pane geral que afeta todo o organismo e o animal deve ser levado imediatamente para o veterinário realizando um atendimento de emergência. Por isso, é preciso ficar bem atento ao bicho depois que ele toma a vacina e esse tipo de reação costuma acontecer dentro de 24 a 48 horas após a vacinação. O sintoma mais comum é dor no local da aplicação, o que pode ser normal no caso da vacina contra raiva e a região pode ficar dolorida por alguns dias.




As vacinas protegem 100%?
Infelizmente não. Porém, ainda é a melhor maneira de combater uma doença grave como a cinomose. A vacina pode não ser o bastante para manter o sistema imune do seu animal em estado de alerta, assim a resposta imunológica pode não ser a esperada para um animal vacinado. É importante que antes da vacinação uma avaliação clínica completa seja realizada pelo médico veterinário.

Existem alguns grupos de risco quando se trata de vacinação e por isso, a história do cachorro é importante. Por exemplo, cães de rua, cadelas no cio, filhotes e cachorros que já tenham apresentado reações alérgicas fazem parte desse grupo. O dono deve passar todas as informações que o médico lhe perguntar, inclusive aquelas que achar relevante para o exame mesmo se não for questionado sobre elas.

Fonte: Webcachorros
Foto: Internet

email
Deixe seu comentário: