Calopsitas invadem as casas pela América Latina

A Calopsita, assim como as Cacatuas, é uma bela ave que possui uma crista linda e imponente, a qual se move de acordo com os seus sentimentos. Existem várias cores e variedades, que são denominadas mutações. As mais conhecidas são: Lutino, Pérola, Arlequim, Cinza, Canela, Cara Branca, Fulvo, Albino, Cara Amarela, Pastel, Prata Recessivo, Prata Dominante, Esmeralda, Platinum, e Pérolas Fêmeas.

É difícil encontrar uma pessoa que não conheça a Calopsita , afinal a ave de origem Australiana é a mais popular mundialmente quando o quesito é animal de estimação. O fato dessa ave ser extrovertida, engraçada e bastante carinhosa pode explicar muito bem essa preferência.




Esse pássaro foi citado pela primeira vez no ano de 1792. Mas foi apenas em 1838 que o primeiro exemplar foi levado para fora do território australiano. Quem leva o crédito é o ornitólogo inglês John Gould, responsável pela catalogação de diversas espécies da Austrália quando a natureza do país ainda era pouco explorada. Por esse trabalho ele chegou a ficar conhecido como “o homem pássaro”.

No ano de 1864 a ave já era bastante conhecida em alguns lugares, principalmente na Inglaterra. Mas foi apenas em 1950 quando começaram a aparecer mutações, as variedade de cores existentes hoje, que a Calopsita ganhou realmente fama.




Características
As Calopsitas são muito dóceis e calmas, seja com outras aves ou mesmo com seres humanos. É um ótimo bicho de estimação para toda a família. Elas são facilmente domesticadas quando jovens e raramente bicam. Quando perturbadas, as mansas apenas gritam ou beliscam o dedo. Costumam reconhecer bem as pessoas e serem particularmente fiéis àqueles que as cuidam e treinam. Tudo isso quando vivem soltas pelas casa.

Essa ave é bastante independente e se o dono deseja que ela fique dentro da gaiola precisa treiná-la desde filhote. Porém quando vive presa ela se torna mais agressiva. Quem tentar colocar o dedo entre as grades para fazer um carinho, por exemplo, corre um grande risco de levar um picada no dedo.

Quando treinados é possível até que esses animais falem, embora seja bastante raro. Normalmente assobiam e cantarolam bastante.




Cuidados básico
A primeira precaução que deve ser tomada por um dono de Calopsita é procurar um veterinário para cortar as asas dela. Principalmente se a ave será criada solta pela casa. Isso evitará as possíveis fugas. Os cortes precisam ser constantes, afinal essas aves são capazes de voar pouco tempo após o procedimento.

No dia a dia é importante que sua água seja trocada e a limpeza do viveiro seja feita diariamente. Os comedouros devem ser limpos regularmente para evitar a formação de bolor, causada por restos de alimentos. Essa ave adora se banhar e essa prática faz bem à saúde dela. Portanto, é recomendado deixar à disposição uma banheira com água sempre limpa, para que se refresque.




Por ser um animal bem carente irá sempre cobrar atenção de sua família, podendo vocalizar bastante. Mesmo que o dono tenha bastante tempo para interagir, isso pode não ser suficiente. O mais indicado é que tenha um companheiro da mesma espécie para se distrair.

Precisa de espaço para se exercitar. Muitos pet shops vendem opções de playgrounds que podem ser ideias para estimular a prática de exercícios nesse pássaro.

Visitas anuais no veterinário são essenciais para acompanhamento e manutenção da saúde do bichinho.




Alimentação
A alimentação consiste em rações e sementes específicas. Quando a opção sementes é escolhida ela precisa estar mistura, ou seja, é indicado que seja oferecido uma variedade delas, não apenas uma. Outro ponto é que Calopsitas que não fazem exercícios devem comer apenas rações.

O armazenamento do alimento deve ser feito com cuidado mantendo as devidas condições de ventilação e higiene. As Calopsitas podem se alimentar de frutas de duas a três vezes por semana e adoram maçã. Os legumes e verduras como couve, almeirão, espinafre e chicória também são bem vindos. Nunca ofereça frutas e legumes gelados.




Espaço para criação
O ideal é manter as Calopsitas em gaiolas abertas. Na compra da gaiola, uma regra dever ser sempre seguida: quanto maior a gaiola, mais feliz o pássaro ficará. Em geral, as aves devem ser capazes de abrir suas asas sem tocar nas laterais da gaiola, e elas devem ser capazes de pular confortavelmente de um poleiro a outro.
Reprodução

​Muitas pessoas que tem um casal de calopsitas pensam e cruzá-las. O ideal é que seja realizado apenas após as aves completarem um ano de idade. O máximo de cruzamentos por ano são 3 para que os animais não fiquem exaustos. Normalmente nascem de 4 a 7 filhotes. O acompanhamento com veterinário é essencial.




Saúde
Se a sua Calopsita espirrar algumas vezes durante o dia não se preocupe, ela está apenas limpando alguma poeira ou sujeira que possa ter entrado nas cavidades nasais. Caso se torne algo constante é importante procurar um veterinário de confiança.

Os exemplares fêmeas podem ficar com deficiência de vitaminas após reproduções seguidas. Se o problema for detectado a alimentação precisará ser específica e muito bem controlada. O mesmo ocorre com aqueles que possuem uma dieta baseada apenas em sementes.

A ave é bastante carente de atenção e caso não receba suficiente pode desenvolver problemas psicológicos. Em muitos casos o animal começa a arrancar suas próprias penas de stress.




Por que ter uma Calopsita em casa?
Esse animal é bastante carinhoso e companheiro. Além de ser bastante espontâneo e engraçado, divertindo sempre os membros de sua família.

Não requer muitos cuidados específicos e sua área de criação pode ser pequena, desde que a ave estja livre.




Por que não ter uma Calopsita em casa?
Se o dono não possui tempo suficiente para dedicar algumas hora ao seu animal de estimação não deve pensar em ter um ave dessa espécie. A mesma coisa vale para quem não tem uma vizinhança amigável, afinal o pássaro gosta muito de vocalizar e o faz em alto volume.

Fonte: Canal do Pet / IG
Foto: Internet

email
Deixe seu comentário: