O cão mais raro e antigo do mundo é encontrado novamente na natureza

Há muitos anos o cão-cantor-da-nova-guiné (Canis lupus hallstromi) é conhecido pela ciência. Ainda não se sabe ao certo se ele é descendente ou membro de uma espécie rara e antiga de cães chamada de cão-das-terras-altas-da-nova-guiné. O que se sabe é que, até hoje, seus hábitos só haviam sido estudados em cativeiro. Após décadas se passarem sem que nenhum animal da espécie fosse encontrado na natureza, pesquisadores descobriram um grupo destes cães na Nova Guiné.

Cerca de 15 animais foram descobertos na Pirâmide Carstensz, uma área montanhosa da Nova Guiné, onde foram registradas mais de 100 fotografias. A descoberta foi realizada pela New Guinea Highland Wild Dog Foundation (NGHWDF) durante uma expedição feita em setembro de 2016.

De acordo com a fundação, que estava há anos buscando registros da espécie, os animais podem ser “a conexão que faltava entre os primeiros canídeos e os modernos cães domésticos“. O encontro se deu graças a uma pegada canina encontrada pelo pesquisador Mac McIntyre. A partir daí, câmeras foram enviadas para a região para monitorar possíveis aparições dos animais – e, em apenas dois dias, 140 fotos foram registradas.

Os pesquisadores também coletaram amostras de DNA dos animais, que estão sendo estudadas para entender a origem da espécie. Em breve, os resultados destas análises deverão ser publicados trazendo à tona mais informações sobre a descoberta.

Fonte: Hypeness / ANDA

email
Deixe seu comentário: