Policiais dão exemplo e abrigam gatas abandonadas em delegacia no Acre

Tudo começou há dois anos atrás, quando uma gata apareceu nos arredores da delegacia e foi, aos poucos, conquistando o carinho e a confiança dos agentes da delegacia. “As pessoas se apegaram ao animal e passaram a cuidar e zelar da alimentação, do banho e até onde ela poderia dormir”, contou o delegado Rodrigo Noll. O amor foi tanto que deram até um nome à gata: Elizabeth.

Após isso, uma outra gata apareceu e também foi acolhida pelos agentes. “Além da alegria que despertam, também acabaram com os ratos que existiam no terreno da delegacia. São exímias caçadoras”, elogiou o delegado.

O agente Francisco Progênio conta que, pelo fato de Elizabeth ser muito dócil e carente, ela tem livre acesso às salas da delegacia. “A presença dela acabou se tornando importante por quebrar o clima formal e, até certo ponto, rígido que é próprio das unidades de Segurança Pública. A Defla é como nossa segunda casa, passamos muito tempo no local de trabalho”, disse Francisco.

A paixão pelas gatas foi tanta, que os policiais começaram a se preocupar com a saúde das felinas. Recentemente, a gata Elizabeth precisou ser operada para retirar pedras do rim. E para custear o valor necessário para a operação e recuperação, os policiais fizeram uma vaquinha.

“Essas gatas são consideradas parte da equipe e ajudam a melhorar o ambiente, que costuma ser estressante para os policiais e para a população, que busca em seus momentos mais difíceis a Polícia Civil”, finaliza Francisco.

Fonte: ANDA

email
Deixe seu comentário: